terça-feira, 15 de agosto de 2017

Mais Notícias do AnimOkay - Confira Atualizações na Programação

Elissom Carlos tem me avisado de novidades acerca da programação do evento desde o início da semana passada. Hoje, apresento aos leitores do Kalango mais sobre o que vai rolar na 6ª edição do encontro, o AnimOkay 2017!

Lembrando que o evento ocorrerá na cidade de Pedras de Fogo/Itambé, no colégio João Úrsulo no dia 27 deste mês (Agosto) e terá ingressos no valor de R$ 10,00 (antecipado) e R$ 15,00 (na entrada). Caravanas pagam a preço de antecipada... Já falei que cosplayer não paga nada?



Prêmio do Concurso de Cosplay



Os caras fecharam parceria com Câmera Geek e o resutado não poderia ser mais favorável aos cosplayers, pois o prêmio do concurso de cosplay será um ensaio fotográfico.
A iniciativa é valida e importante para os que desejam se tornar cada vez mais profissional. Um 'book' - ou seja lá como chamam hoje em dia - de fotografias servirá como um referencial (e com certeza será um direfencial) na exposição do seu trabalho na internet, por exemplo.



Gabriel Muaze se fará presente



Esse rapaz conhecido pelos 'Lolzeiros' marcará presença no AnimOkay! Quem curte o trabalho dele, tem alguma pergunta que gostaria de fazer ao cara, ou simplesmente pegar alguma dica de League of Legends, então, vá lá e prestigie a participação do Gabriel!




O Lendário Dublador Jorge Vasconcelos estará no Evento




Isso me surpreendeu. O Macaco Louco estará no AnimOkay 2017! Sim, o vilão d'As Meninas Superpoderosas, aquele mesmo! No fator nostalgia, os organizadores do evento pegaram pesado, devo admitir, pois não lembro qual tenha sido o último evento na Paraíba que trouxe essa figura mitológica a um evento de cultura pop e devo dizer: é ótimo.
De Riyuuki a Rei Gelado e outros personagens icônicos, quem não tem simpatia pela voz rouca e  semi gutural do Jorge Vasconcelos, quem?


Continue lendo, pois nesse post, segue o Projeto Atualizado do AnimOkay. E se você está se perguntando 'o que é esse tal projeto?' eu respondo: um PDF muito bem organizado que traz mais informações sobre o evento. Clique no link abaixo e faça o download do arquivo.


Sei que já escrevi no primeiro post de divugação do AnimOkay algo a respeito, porém no PDF mencionado você poderá entender o que é AnimOkay não pelas minhas palavras, mas pela visão dos idealizadores do projeto.

   ... Até o presente momento é isso. Sinceramente, mesmo que surjam novidades, confesso que a programação do AnimOkay 2017 está bastante razoável. Sério, o evento promete ser no mínimo divertido e esperamos você lá!
.
.
.
Clovis de Castro escreveu o texto e espera ver o maior vilã de Townsville no AnimOkay 2017!

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Ocean Waves (Umi ga Kikoeru) - Uma Animação do Estúdio Ghibli Sem Enredo Mágico!


   Ora, ora, faz um looooooongo período que não faço nenhum review sobre anime, mangá ou qualquer coisa do gênero - apesar de ser exatamente isso que escrevo sempre: animes e mangás, com poucas variações em jogos de portáteis.

   Eis que para me redimi surgiu a espontânea ideia de escrever sobre uma das primeiras animações do Estúdio Ghibli que me fora apresentado a não muito tempo atrás. Ocorre que na época do icônico Viajem de Chihiro, eu quando criança, não me senti muito atraído por aquele formato de animação que, apesar de belíssimo e merecer outros tantos superlativos, me parecia estranho. Quando digo estranho não leve para o lado negativo da coisa, contudo diferente. Mais ou menos a mesma coisa senti ao assistir aos 9 anos de idade Castelo Animado. Minha cabeça infantil não conseguiu processar aquela obra psicodélica que se desenrolava no aparelho de DVD.
   Então o parágrafo anterior foi uma justificativa pelo fato de anos depois (uma década cerrada, assisti Ocean Waves aos 19 anos) decidi dar uma segunda chance à animações do Estúdio Ghibli.

   Para muitos que conhecem Umi ga Kikeoru, podem me achar louco por ter assistido Viajem de Chihiro e Castelo Mágico, premiados em todos os lugares do mundo e aclamados pela crítica especializada e não ter criado nenhuma simpatia por estes já consagrados clássicos, mas com esse título que (espero parar de enrolar e em algumas poucas linhas iniciar de fato a resenha) ninguém conhece por não ter sido distribuído no Brasil e ter feito pouco ou mesmo nenhum sucesso em terras nipônicas e Europa, fora justamente esse média metragem que me interessou no final das contas?

   Explicarei o porquê agora.

...e foi assim que começou...

   A maioria dos produtos do Estúdio Ghibli tem uma forte carga de fantasia. Isso todos nós sabemos. Ocean Waves trás uma história simples sobre o relacionamento entre dois jovens do ensino médio, Taku Morisaki e Rikaku Muto. A 'narrativa' dos fatos se dá com as memórias de Taku na sua época de estudante, na cidadezinha de Kouchi, de modo que nos são apresentadas as lembranças mais e menos importantes no decorrer do filme, sem que no princípio você se dê conta disso. 

   Em poucas palavras, é assim que defino Umi ga Kikoeru.

   Nada parece se destacar no desenrolar da história. A trilha sonora é simples (só simples) e o orçamento para a animação parecia estar apertado ou é o que se percebe quando comparado Ocean Waves com Porco Rosso...

   Mas apesar de tudo isso, temos aqui o retrato fiel de como as coisas realmente são.

   Deixe-me explicar. Umi ga Kikoeru trás por meio das lembranças do Taku Morisaki anos após de graduado do ensino médio, o seu passado simples de garoto no interior que conhece Rikaku Muto recém transferida de Tokyo e que por um motivo banal (essa garota pede dinheiro emprestado a ele) eles começam a se relacionar - e por relacionamento não entenda exclusivamente como 'amoroso', e nesse desenrolar, o pessoal da classe dos dois começam a comentar sobre o 'namoro' dos dois, causando mal estar nos protagonistas da história e levando-os a romper aquilo que nunca existiu.
   Entendem o que isso significa? Trata-se, ao meu ver, de um dos 'Slice of Life' mais fiéis que jamais vi. As memórias do protagonista Taku Morisaki poderiam ser de qualquer um. São retratos dos primeiros arrependimentos de uma pessoa ainda em crescimento físico e emocional. Lembranças do que foi e do que poderia ser. Morisaki estava parado numa plataforma de trem e ao reconhecer do outro lado da plataforma a sua colega de classe temos um gatilho que dispara na mente do rapaz fazendo com que rememore tudo o que passou até aquele momento.

___________________________________________________________________________

Por que um anime que não trata sobre oceano, surf, pesca ou nada do gênero teve o título de 'Ondas do Oceano'?

Ora, é muito simples, o título faz referência aos sentimentos dos adolescentes, em constante mudança como as ondas do oceano.
___________________________________________________________________________


   No final do filme, quando cessam os 'flashbacks', podemos ver todos os colegas de escola dos protagonistas na reunião de turma conversando exatamente sobre isso, do que foi e do que poderia ter sido, fica claro do motivo que me fez assistir até o final: a história é boa.

Apesar de não ter uma carga emocional forte, Umi ga Kikoeru está cercado de pequenos momentos marcantes

   Apesar das falhas que vão se tornando mais claras e aparentes depois de assistir algumas vezes e ler as críticas sobre Ocean Waves, a história tem muitos dramas reais. Atualmente, quando assisto/leio algum Slice of Life percebo que variam entre comédia e drama, mas aqui temos apenas um drama palpável, até mesmo sensível.

Espero que depois desse texto você assista, pois quero saber sua opinião sobre o filme
  
   ...Sim, fui bem menos claro do que achei que realmente seria, se bem que cumpri com o prometido (nunca fiz promessa nenhuma a ninguém, diga-se de passagem) de jamais revelar spoilers. Mesmo que um e outro passe, as principais surpresas de Ocean Waves permanecem inéditas aos que só leram o presente texto.

   De qualquer modo, indico que assista ao filme. 

   Sinceramente, não é o melhor filme do Estúdio Ghibli, mas é certamente um dos mais diferentes que eles já produziram e talvez só por isso já vale dar uma conferida.
.
.
.
Clovis de Castro fez a resenha e tomou um momento de profunda reflexão depois de ter assistido Ocean Wave.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Entrevista com Elisson Carlos - Organizador do AnimOkay


____________________________________________________________________

ATUALIZANDO: O valor dos ingressos é de R$ 15,00; sendo o preço de antecipado R$ 10,00. Caravanas pagam a preço de antecipado
____________________________________________________________________

Como o encontro AnimOkay vem se aproximando, nós do Kalango Alpha decidimos realizar uma pequena entrevista com Elisson Carlos, idealizador, fundador e um dos organizadores do projeto.
As perguntas foram boladas sem a pretenção de ser formal ou pedante, para que o próprio entrevistado pudesse responder com maior naturalidade. Eis que somos presenteados com as sinceras impressões da cabeça por trás do AnimOkay.




[Kalango Alpha] Como surgiu a ideia de criar o AnimOkay?

[Elisson Carlos] "A ideia surgiu a partir do momento em que eu e alguns amigos (principalmente meu primo) íamos aos eventos fora. Com o passar do tempo começamos a convidar alguns amigos e vimos que tinha muita gente com o mesmo gosto que o nosso. Com o tempo fizemos caravanas levando até ônibus lotados para eventos fora da cidade! Então pensei comigo: 'se tem tanta gente que gosta de ir pra os eventos fora, por que não fazer um aqui?' e comecei a agir em segredo (risadas). Só depois convidei dois amigos para me ajudar"



[Kalango Alpha] Quais as principais diferenças entre a primeira e a última edição do AnimOkay?

[Elisson Carlos] "A diferença tá principalmente na experiência. O primeiro, como falei, fiz todo sem tem muita noção do que estava fazendo (risadas); os demais já foram melhor elaborados, com atividades que você só encontra aqui - algumas que até já foram copiadas por outros eventos (risadas)"



[Kalango Alpha] Qual o principal público que o AnimOkay atrai?

[Elisson Carlos] "O diferencial do AnimOkay está justamente nisso, atraímos diversos tipos de públicos. Desde o carinha mais nerd fã de Star Wars ao cara que vai só pra ver a galera sofrendo no concurso de comida (risadas)"



[Kalango Alpha] Quais as expectativas para esse ano?

[Elisson Carlos] "Como sempre, são boas. A cada ano o evento conquista novos fãs"



[Kalango Alpha] Qual lembrança mais querida que você guarda dos AnimOkays anteriores?

[Elisson Carlos] "Tem várias, visse. Vou citar uma de cada ano: 

Na primeira edição teve um momento em que um dos palestrantes convidados falou emocionado que nunca tinha sido tão bem tratado em nenhum outro lugar que foi;

Na segunda edição, um momento de brincadeira com o dublador Charles Emmanuel após o evento, quando o mesmo saiu do local da palestra, se escondendo atrás de um carro. Quando saimos pra procurar por ele, ele sai de tras do carro gritando 'É hora de virar herói' e sai correndo  pelo local do evento (risadas);

Na terceira foi quando um garoto da cidade disse que a única coisa boa que tinha acontecido em todos os tempos aqui (Itambé), foi o AnimOkay;

Na quarta, foi poder realizar um sonho de uma garotinha em conhecer o 'youtuber' favorito dela;

Mas a que mais marcou foi na quinta edição (ano passado) quando a maquiadora Naira estava desenhando na barriga da minha esposa que estava grávida com 3 meses. Antes de batermos a ultrassonografia, ela desenhou duas sementes, uma rosa e uma azul, e o grão do feijão apontava pra o lado azul, então eu brinquei com ela (minha esposa) falando que tava adivinhando que seria menino e realmente, 2 dias depois batemos a ultra e vimos meu meninão."



[Kalango Alpha] Uma mensagem aos paraibanos, convite para que compareçam ao evento.

[Elisson Carlos] "Bom,  espero todos aqui, pois além de estarem se divertindo estarão proporcionando a nós, a chance de fazer quem não tem tanto motivo pra sorrir ter um momento de alegria, que são as crianças que recebem os brinquedos do natal solidário Animokay!"




E foi com esse gesto mais que bacana em ceder uma curta entrevista com o Kalango Alpha que a nossa conversa terminou.
Espero podermos contribuir melhor com a disseminação do evento não só aqui na capita paraibana, mas no eixo da mata norte pernambucana e região metropolitana de Recife e João Pessoa.
.
.
.
Clovis de Castro fez a entrevista e agradece a Elisson Carlos por ter respondido com tamanha prontidão e entusiasmo.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Está Chegando! AnimOkay - O Evento de Animês Chega a sua 6ª Edição!


Sei que estou devendo material para o blog e que faz um bom tempo que o Kalango não é atualizado, mas eis que trago novidades, meus amigos.
Alguns dias atrás fui contatado com a informação de que no finzinho do próximo será celebrado uma convenção de animês na cidade de Itambé-PE. Poxa, como fiquei feliz e surpreso na mesma proporção ao saber que antes do HQPB haveria um encontro legal sendo realizado em uma cidade não muito distante de João Pessoa.
Papiei com Elisson Carlos, um dos organizadores do evento sobre o AnimOkay (nome da convenção) como a expectativa para o público desse ano - e antes que me perguntem: não, não faço ideia de como organizar um evento, festa ou nada do gênero!; o tipo de público que o AnimOkay visa; valor do ingresso; atrações etc.


Eis que o 'CEO' Elisson me contou sobre uma ação social muito bacana envolvida nisso tudo. Parte do dinheiro arrecadado com a venda dos ingressos é destinada ao Natal AnimOkay, no qual os organizadores se reúnem e distribuem presentes (brinquedos e roupas) para as crianças dos bairros mais humildes do município de Itambé.
Então, avalie: o dinheiro do seu ingresso será convertido em benefício a uma causa bastante nobre, que é o de proporcionar um Natal bacana à crianças mais pobres. Anualmente, o pessoal do AnimOkay realiza esse trabalho que é sem dúvidas digno de respeito.


Data do Evento

AnimOkay será realizado no dia 27 de Agosto. E será realizado somente no dia 27, domingo. O local do evento será no Colégio João Úrsulo.


A programação e lista de convidados ainda será disponibilizada e assim que sair, nós do Kalango Alpha iremos publicar no blog...
...Contudo, temos algumas informações confirmadas que adiantaremos para você, leitor:



Cosplayer Não Paga Ingresso - Inscreva-se No Concurso de Cosplay


Não, você não leu errado. Cosplayer não paga ingresso e estão abertas as inscrições para o concurso de melhor Cosplay.

Para se inscrever basta mandar um e-mail para suporteanimokay@gmail.com com todos os seus dados, seja nome completo, idade, cidade onde mora com endereço atualizado, qual série/personagem será homenageado e foto do participante. Mande o e-mail com o assunto 'CADASTRO COSPLAY', aí é só aguardar um e-mail de confirmação do pessoal do AnimOkay.
Mas atenção, as inscrições são válidas até o dia 15 de Agosto, então não vá perder tempo!



ARTIST'S ALLEY - Quadrinistas Regionais Divulgando Seus Trabalhos no Evento!


"O QUE É ARTIST'S ALLEY?
Artist's Alley é um espaço para que quadrinistas independentes apresentem seus mais novos trabalhos e também para que os artistas que atuam nas grandes editoras possam interagir com seu público e vender prints, sketchbooks, artes originais e outros materiais"

Essa foi a definição dada na página do evento. E os convidados desse ano são Marilia Nascimento, Glaydson Gomes, Clara Carvalho, Marcio Saback e José Carlos Braga.



Maquiagem Artística com Naiara Cavalcanti


Haverá um espaço exclusivo no evento para que você faça aquela Corpse Paint ao estilo Black Metal Old School, ou quem sabe para dar uma reforçada no seu cosplay você não opte por uma maquiagem profissional!
Enfim, a imaginação não tem limites! Vá no evento e confira.
Esse é o segundo ano com a participação da maquiadora Naiara Cavalcanti que leciona maquiagem artística no SENAC e também foi uma das organizadoras do Cultura Pop 2016.


Torneio de Clash Royale


"Entre na arena!
Pra galera que curte um dos mobiles games mas jogados do momento, teremos torneio presencial de Clash Royale"

Pra ser sincero, não conheço, mas vejo no evento uma oportunidade de conhecer! Aos jogadores desse game, boa sorte.



Para mais informações, acesse a página oficial do AnimOkay no Facebook e saiba mais detalhes, troque uma ideia como o pessoal, tire suas dúvidas e... faça uma caravana! Isso, chame os amigos e façam uma pequena viajem para Itambé.

Link da Página: https://www.facebook.com/animokay/

Aos interessados, comecem desde já a criar caravanas para o Animokay. Seja de Recife-Itambé ou João Pessoa-Itambé. Procurem interessados, disseminem essa convenção!
Esse convite vale ao pessoal da Zona da Mata Norte de Pernambuco e Região, creio que o pessoal paraibano do Conde, Alhandra, Santa Rita e João Pessoa não encontrarão dificuldades em chegar na cidade de Pedras de Fogo, cidade fronteiriça à Itambé - na verdade Pedras de Fogo está a uma rua de distânci de Itambé, literalmente! - assim como quem mora em Goiana, Condado, Aliança, Timbaúba etc. podem chegar ao evento muito rapidamente por serem extremamente próximas.
.
.
.
Clovis de Castro escreveu o texto e espera ansioso por novidades do AnimOkay.

domingo, 5 de março de 2017

Conheça Dylan Dog, O Investigador do Pesadelo!


 Conversando com Dhenner e Jordes, parceiros do Kalango Alpha, decidimos fazer algumas mudanças como melhorar a qualidade dos vídeos, diversificar e ousar em outras mídias como é o caso dos podcasts ainda um pouco experimentais e escrever resenhas de algo fuja do eixa anime e mangá. Pois bem, nesse primeiro semestre de 2017 o que poderá sair são textos voltados à cultura pop em geral. Então, por que não falar sobre um dos quadrinhos mais bacanas que já li? Sim, trata-se do Dylan Dog!


...O Que é Esse 'Barato'?

Dylan Dog é um fumetti de terror roteirizado por Tiziano Sclavi e inicialmente desenhado por Angelo Stano publicado pela Sergio Bonelli Editore desde o ano de 1986 na Itália.


...Do Que Trata Este 'Barato'?

Na velha vidade de Londres, na metade dos anos 1980, um ex-policial chamado Dylan Dog trabalha como detetive particular. Contando com a ajuda de seu nem tão fiel ajudante, Groucho Marx, investigam os casos que vão além do convencional, envolvendo quase sempre fenômenos sobrenaturais, místicos e coisas que nem mesmo os nossos heróis conseguem explicar no final das contas...
É, continua bastante vago. E ficará assim se você próprio não ler os HQs. "Por que você procuraria os HQs?". Ora, leia a resenha e perceba por si só.

Um dos hobies do nosso herói: tocar clarinete. 

Um 'Fumetti' em Minha Vida

Da mesma forma que chamamos histórias em quadrinho de Gibí aqui no Brasil, os norte-americanos chamam de Comic Books, sendo conhecido no Japão como Mangá. Na Itália, os quadrinhos são chamados de Fumetti, uma vez que o balão de fala dos personagens se assemelha a nuvens de fumaça (fumetti = fumaça em italiano) e é exatamente daí que vem o nome.

Uma imagem vale mais que mil palavras. Melhor definição de Fumetti não há.

Os fumetti saíram da Itália e ganharam o mundo a partir da Sergio Bonelli Editore com os títulos: Nathan Never, Dylan Dog, Mister No, e os já conhecidos Tex e Zagor.
Dylan Dog é publicado pela editora Sergio Bonelli e escreva o que estou "dizendo": aguarde por lançamentos de novas aventuras nesse ano de 2017. Os italianos continuam publicando novos fumettis do detetive inglês.

____________________________________________________________________________
Encontrei um número aleatório do Dylan Dog, vale à pena comprar?

Os quadrinhos não seguem ordem cronológica. Se há algum arco principal que se desenrola em rcos secundários ignoro totalmente, a única diferença é que desde sua crição há vários artistas que deram vida ao investigador inglês. Então se você topar com algum gibi avulso basta comprar e se divertir, pois cada quadrnho tem um arco fechado de início-meio-fim, de modo que qualquer leitor, seja novato ou um consumidor contumaz, poderá apreciar o fumetti.
____________________________________________________________________________


Tex? Conheço. Mas Nunca Ouvi Falar em Dylan Dog!

Acho dificil entender o fato de que Dylan Dog não foi popular em terras tupiniquins. Tentativas não faltaram para publicar o fumetti de terror, contudo devido ao alto valor cobrado (não pergunto quanto, pois não sei converter cruzeiro em real) somada a baixa qualidade de impressão e pouca divulgação, o título acabava sendo cancelado. A primeira tentativa foi pela Editora Record em meados de 1992 contando com apenas 11 volumes simples mais 2 especiais. Houve um volume único especial publicado pela Editora Globo em 1993, marcando a segunda aparição do presente título. Em 2002, a Editora Conrad lançou 6 volumes, dentre eles só 3 inéditos e cancelou posteriores publicações (novidade para a Conrad). Num quarto momento chega a Editora Mythos, responsável pela publicação de 40 volumes mais 6 coletâneas.

Edição ela Record...

Atenção: A Editora Lorentz trará 3 edições de Dylan Dog nesse ano de 2017!

Deu pra perceber que se em num momento o material estava pouco acessivel ao público, no outro as o público é que ignorou o título, visto que é incrivelmente comum entrar numa banquinha e ver um Tex, outro fumetti da Sergio Bonelli Editore que fora verdadeiramente abraçado pelos brasileiros. E mais uma vez, lembre-se: Dylan Dog é massa pra carvalho! foi sucesso no mundo todo, exceto aqui.

...Pela Mythos (Formatinho)...

Dentre todos os quadrinhos europeus, a obra de Tiziano Sclavi é de altíssima qualidade, sobretudo pelo roteiro cuidadoso e imprevisível que se tornou marca registrada desse título. Sim, imprevisível define Dylan Dog. Nem sempre há um realmente um monstro a se combater, da mesma forma que nem todos os clientes são o que aparecem ser, e no decorrer do fumetti fatos novos são agregados: referências literárias, 'flashbacks' que completam passagens pouco elucidativas etc.

...Pela Conrad.

A única coisa que se repete em Dylan Dog é o fato dos clientes do nosso herói tendem a ser mulheres. Na verdade, todos os clientes são mulheres jovens e atraentes. E tem mais: [SPOILER ALERT] o senhor Dog fornica com suas clientes quase sempre (bem, agora sabemos que não e por causa dos monstros, fantasmas e alienígenas que o investigador tem uma vida agitada)

Curiosidade: um dos grandes nomes da litaratura italiana contemporânea, o já falecido Umberto Eco, era fã desse HQ.

Nas páginas desse número, o próprio Umberto Eco foi personagem de uma aventura de Dylan Dog.


O Investigador do Pesadelo nos Cinemas!

Em 1994 fora produzido Dellamorte Dellamore, Cemitery Man para os estrangeiros, filme baseado em um romance escrito por Tiziano Sclavi. O pessoal da época encarou Cemitery Man como sendo uma película baseada nos quadrinhos de Dylan Dog. Não opinarei aqui por haver ressalvas.

Cartaz do filme Dellamorte Dellamore, a.k.a Cemitery Man

Contudo, no ano de 2011 Hollywood fez uma adaptação das aventuras do detetive londrino para os cinemas e cara (ou mina) para um gibi estrangeiro receber uma homenagem dessas nos faz pensar no quão relevante Dylan Dog é/foi para o mercado de HQs dos Estados Unidos.

Foi o Hype desse filme que conheci Dylan Dog

Acredito que no futuro farei uma resenha específica acerca desse filme, aguardem.


Considerações Finais. Indico isto a (à)...

Leia. Indicado aos fãs de Scooby-Doo pelas formas inteligentes de elucidação de um mistério. Indicado aos fãs de Goosebumps e afins pela adição de monstros e outros elementos sobrenaturais que entretêm aquele que acompanha a trama. Indicado aos amantes da boa literatura, pelas referências quase que constantes à Edgar Allan Poe, H.P Lovecraft e outros gênios mundiais sem parecer pedante. Indicado aos leitores descompromissados que procuram por algo novo. Indicado aos que já acompanham Mister No, Nathan Never, Tex e afins. E indicado principalmente  você, nobre leitor, por ter chegado até esse ponto da resenha.

.
.
.
Clovis de Castro escreveu a resenha e lê Dylan Dog toda meia-noite de sexta-feira 13 à luz de velas.

sábado, 4 de março de 2017

Rafa Animes Vol. 8 Para Download!




 A edição de Fevereiro deste ano traz informações de novidades que repercutirão por todo o ano, acho que esse é o fator preponderante para ler a revista. E para confirmar o que digo, leia esse singelo índice que você, caro leitor, acreditará no que digo:

Fairy Tail: Filme produzido, desenhado e roteirizado por Hiro Mashima;
Sword Art Online: Sai o seu primeiro filme;
Novo Yu-Gi-Oh! estreiando na tv japonesa;
Primeiro longa compilado de Overlord;
O filme de Blame sairá pela Netflix para o mundo todo;
Boruto, o que podemos esperar desse anime?;
Duel Monsters: Nova animação sendo preparada;
Hirune Hime: assista ao curta, aguarde pelo filme;
Dance With Devils: Filme do anime musical nesse outono de 2017;
Souryo to Majiwaru Shikiyoku no: Romance, Padres e algo Ecchi;
Berserk: Nova temporada!;
Natsume Yuujinchou continua ganhando episódios animados;
Dos criadores do mítico Black Lagoon, ReCreators ganha versão animada.

Gostou? Quer mais? Acesse a página de Facebook da Rafa Animes e baixe inteiramente grátis o acervo que a equipe disponibiliza.

Link da página: https://www.facebook.com/revistarafaanimes/?fref=ts
.
.
.
Clovis de Castro escreveu a resenha e olha torto para esse tal de Boruto.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Akira: Animação X Mangá


Por que ler o Mangá?

Nota do autor, jamais se esqueça: Akira não é só um longa. Na verdade, há um mangá que abarca mais de 2000 páginas de quadrinhos. Katsuhiro Otomo era mangaká antes de dirigir animações, assim como Osamu Tezuka, ou seja, vá atrás de outros títulos do Katsuhiro Otomo que certamente você encontrará outro mangá legal.
O que você lê nessas 2000 e tantas página, leitor do céu, faz com que você pense: "como que eu nunca li isso antes? Como!?". E depois desse momento sabático a primeira coisa que você fará é indicar esse título aos coleguinhas. Quando menos imaginar, o senhor foi o início de uma corrente de centenas de pessoas sobre 'O quão importante é ler Akira!'.


Mas eu não conheço o Filme, quer dizer que não precisa assistir à Animação?

Não podemos discutir a qualidade da animação de Akira (oh, eterno prodígio!) e vale ressaltar que caso não tenha assistido, assista! O quanto antes, aliás, caso não possa assistir agora, faça uma anotação, cole na sua testa e dê um jeito de fazê-lo mais tarde.
Realmente, não há falhas no filme Akira. Contudo, se eu pudesse apontar um erro, seria o fato da história não ter acabado ali! Tetsuo morre? O governo descobre algo sobre quem estava por trás de tudo aquilo? O Japão entra em colapso? Ora, todas essas perguntas que ficam no ar são respondidas pelo mangá.
Meu conselho: Assista o filme e depois continue lendo o mangá. Vale a pena, sim. A trama vai ficando cada vez mais complexa e envolvente.

Capas da edição japonesa. Essas e outras também saíram nas edições ocidentais

Akira no Brasil

Em meados de 1990, a editora Globo lança no formato americano os quadrinhos de Akira. É interessante escrever isso, uma vez que os quadrinhos japoneses não eram populares em terras tupiniquins, ou melhor, não havia nicho para esse material. Acho que dá pra contar nos dedos das mãos os títulos lançados entre 1985 e 1995! E dentre eles está Akira: gibi japonês, colorido pelo Tio Sam e distribuido no Brasil.
Confesso que não vivi esse momento, se bem que às vezes me pego pensando uma série de coisas em relação aos mangás e o público que os consumia. Primeiro, ir pra casa de um coleguinha e encontrar no meio das Marvels e D.C. um gibi oriental devia levantar algumas discussões; boas ou más, aí eu não sei. Segundo, entender o que era um mangá deviam ser outros quinhentos; a turminha comprava os quadrinhos e certamente não sabia diferenciar Comics de Gibi, Fumetti ou Mangá. Terceiro, o que vendeu os quadrinhos Akira com toda certeza foi o filme, ele deu vez aos quadrinhos.


Hoje em dia, esses gibis formatão americano são encontrados aos montes nos sebos da vida. Caso queira dar uma conferida no gibi do Akira, vá à caça que você encontra!
Anos depois sairam umas versões encadernadas bonitonas. Não sei quanto custam ou se é fácil de encontrar, pois não levantei nenhum dado. Contudo, tudo leva a crer que quem tem, não vende nem sob ameaça de morte. 

__________________________________________________________________________

Atenção: A editora JBC está relançando Akira no formato original e em breve o digno leitor poderá encontrar um exemplar próximo de você.
__________________________________________________________________________



Finalizando com Ênfase!

Aqui não tem spoilers; escrevo textos opinativos, mas nunca trago spoilers ou qualquer detalhe do enredo. Como apontado no topo do texto, repito: Assista o anime e LEIA O MANGÁ! Aguarde pelo lançamento da JBC, procure os gibis coloridos da editora globo, leia online... Não importa! No final das contas fica a seu critério, mas leia o mangá. Acompanhe uma das melhores obras gráficas que você jamais leu e seja feliz!!
.
.
.
Clovis de Castro escreveu o texto e teve por colaborador indireto Jordes Oliveira, obrigado nobre colega.